0

Seu carrinho está vazio

Light In The Attic

KAREN DALTON "IN MY OWN TIME (50th Anniversary Edition)" (LP, importado, novo, lacrado)

ou até 12x de r$ 26,10


↳ uma verdadeira obra-prima de um dos artistas mais misteriosos, enigmáticos e influentes da música

Estado: NOVO
Formato: LP
Ano de prensagem: 2022
País de prensagem: EUA
Condição Capa/Disco: S / S (?)


  • Edição remasterizada em vinil preto com capa gatefold expandida e encarte de 20 páginas com resenha de Lenny Kaye. Cut de master de 2021.

    RELEASE

    A saudosa Karen Dalton tem sido a musa de inúmeros gênios do folk rock, de Bob Dylan a Devendra Banhart, de Lucinda Williams a Joanna Newsom. A lendária cantora Lacy J. Dalton adotou o sobrenome da sua heróina como seu quando começou sua carreira na música country. Karen Dalton teve esse efeito nas pessoas – seu espírito nativo americano atemporal, dolorido e impregnado de blues inspirou "Katie's Been Gone" de Dylan & The Band (em 'The Basement Tapes') e "When I First Came To Town" de Nick Cave (de 'Henry's Dream').

    Gravado durante um período de seis meses em 1970/71 em Bearsville, ‘In My Own Time’ foi o único álbum de estúdio totalmente planejado e realizado de Dalton. O material foi cuidadosamente selecionado e elaborado para ela pelo produtor/músico Harvey Brooks, o homem renascentista do rock-jazz que tocou baixo em “Highway 61 Revisited” de Dylan e “Bitches Brew” de Miles. Apresenta dez músicas que refletem a incrível capacidade de Dalton de partir o coração de qualquer pessoa – desde sua evocação espectral de Joe Tate em “One Night of Love” até a tragédia sombria da tradicional “Katie Cruel”. Conhecido como um grande intérprete de material de escolha, Dalton poderia dominar os gêneros country e soul com covers assustadores de “Take Me” de George Jones e “How Sweet It Is”de Holland-Dozier-Holland.

    De Lenny Kaye (The Patti Smith Group):

    “A mãe de Karen era totalmente Cherokee e disse a ela que se suas vibrações estivessem corretas, as plantas cresceriam em seu quarto, assim como Karen havia crescido na cena folclórica do Village. Ela também tinha o espírito Beat, a angústia existencial que sentia que a vida era sombria, perpetuamente dolorosa, e era assim que você se tornava sua arte, se você fosse um verdadeiro artista.’

    “'Karen era alta, esbelta, tinha cabelos pretos lisos, cintura longa e esbelta, como todos nós queríamos ser', disse Lacy J. Dalton. E sua mistura de influências – o jazz de Ella Fitzgerald e Billie Holiday, a imersão de Nina Simone, o entusiasmo dos Apalaches de Jean Ritchie, o R&B e o country que tiveram que se infiltrar enquanto ela viajava de Oklahoma para Nova York – criou uma 'voz para os ouvidos cansados.'”

  • Utilizamos uma classificação baseada nos padrões internacionais Goldmine e Record Collector Grading Systems. É o código universal para descrever precisamente a condição de um disco.

    S • Sealed / Lacrado
    O disco e a capa estão novos e ainda lacrados.

    N • New / Novo
    O disco e a capa estão novos, nunca tocados, porém não lacrados.

    M • Mint / Estado de novo
    O disco está em estado novo, absolutamente perfeito.
    Capa e documentos adicionais como encarte, folheto ou cartaz estão em perfeitas condições.

    NM • Near Mint / Quase Novo
    Descreve um disco quase novo, esta graduação é utilizada para discos que aparecem praticamente impecável, mas não perfeito. Uma marca superficial muito pequena pode aparecer no disco. No entanto, o disco deve tocar sem qualquer ruído sobre o defeito, a qual deve ser muito difícil de detectar.
    A capa fica perto de perfeita, nova, com apenas mínimos sinais de desgaste. Marcas menores na capa (devido à borda externa do disco que ficou dentro) ficam aceitável, porém a arte da capa deve ser tão perto da perfeição quanto possível.

    EX • Excellent / Excelente
    O disco mostra alguns sinais de ter sido tocado, mas há muito pouca atenuação na qualidade do som.
    A capa e a embalagem pode ter um ligeiro desgaste mas um excelente aspecto geral.

    VG+ • Very Good Plus / Muito Bom Plus
    A condição mais comum para os discos. O disco foi tocado algumas vezes, mas não exibe grande deterioração na qualidade do som, sem desgaste, apesar de leves e ocasionais marcas superficiais.
    A capa tem alguma imperfeição de manipulação como uso e desgaste normal, etiqueta de preço, marcas leve de vinco, … A capa também pode ser em perfeita condição, porem com um selo de DJ ou de cópia promocional, ou com um corte no canto.

    VG • Very Good / Muito Bom
    Capa que sofreu de dobrar, deformação de lombada, descoloração... Agora os sinais da idade e manuseio estão começando a aparecer. Você pode notar algum desgaste na superfície, há algum ruído e estalos. O disco pode ficar levemente empenado. Na dúvida, caso não tem uma descrição clara da condição no qual se encontra o disco, pode ser bom perguntar mais detalhes ao vendedor.

    VG- • Very Good Minus / Muito Bom Menos
    Os sinais da idade e manuseio estão muito presente. O disco apresenta desgaste na superfície, fica arranhado e toca com ruídos e estalos. O disco pode ficar levemente empenado e pode pular. Na dúvida, caso não tem uma descrição clara da condição no qual se encontra o disco, pode ser bom perguntar mais detalhes ao vendedor.
    Capa com muita marcas de idade e manuseio, deformação de lombada, descoloração...

    G • Good / Bom
    O disco foi tocado tanto que a qualidade do som foi visivelmente deteriorado, ruídos permanente, distorção e arranhões. Pode pular em vários momentos. A capa e os conteúdos podem ser rasgado, manchado e/ou apagado, também pode haver alguma escrita nela.

    B • Bad / Ruim
    O disco não toca corretamente devido a arranhões, ruídos ruims, pulos, etc ... A menos que seja algo muito raro não vale a pena escutar um disco nesta condição.
    A capa e os conteúdos são bastante danificados ou parcialmente ausentes.

    NA • Not Applicable / Não Aplicável
    Não tem disco, esta faltando.
    Não tem capa e/ou o disco se encontra numa capa branca, sem informação nenhuma.