Gondwana Records

MATTHEW HALSALL "SALUTE TO THE SUN" (2xLP, importado, novo)

ou até 12x de r$ 34,14


Estado: NOVO
Formato: 2xLP
Ano de prensagem: 2021
País de prensagem: Reino Unido
Condição Capa/Disco: N / N (?)

  • Edição Standard com 2 lps 180gr, capa impressa com Pantone e capa interna impressa no lado fosco.
    Inclui Código de Download,
    Arte da capa por Daniel Halsall com  design e layout de Ian Anderson de The Designers Republic.
    Master Half-speed para uma qualidade de som superior.

    - - - -

    Compositor, trompetista, produtor, DJ e fundador da Gondwana Records, Matthew Halsall sempre desempenhou muitos papéis. Mas no cerne de tudo o que ele faz, Halsall é, antes de mais nada, um artista e um músico. Um trompetista cuja maneira de tocar impassível e comovente irradia uma beleza pensativa e um compositor e líder de banda que criou seu próprio rico mundo sonoro. Um som que se baseia na herança do jazz britânico, no jazz espiritual de Alice Coltrane e Pharoah Sanders, bem como na música mundial e influências eletrônicas, e até mesmo na arte e arquitetura modernas, para criar algo exclusivamente seu. Uma música que tem raízes no norte da Inglaterra, mas inspira-se em inspirações globais.

    Salute to the Sun é seu primeiro álbum como líder desde Into Forever (2015) e marca a estreia de sua nova banda. Um conjunto escolhido a dedo com alguns dos melhores jovens músicos de Manchester: Matt Cliffe na flauta e saxofone, Maddie Herbert na harpa, Liviu Gheorghe no piano, Alan Taylor na bateria e Jack McCarthy nas percussões, bem como o colaborador de longa data de Halsall, o baixista Gavin Barras, que já foi no coração das bandas de Halsall por mais de uma década. Para Matthew, era importante ter uma banda baseada localmente e capaz, pré-Covid, de se encontrar e tocar todas as semanas, e que também realizava uma sessão mensal esgotada no porão do Yes em Manchester. O álbum extrai energia dessas sessões e inspiração de temas e idéias que inspiraram Halsall ao longo dos anos (em álbuns como Oneness, Fletcher Moss Park e When the World Was One) ideias de ecologia, meio ambiente e harmonia com a natureza.

    "Eu sinto que Salute to the Sun é um álbum positivo e terroso. Eu queria criar algo divertido, mas também bastante primitivo, terrestre e orgânico que se conectasse aos sons da natureza. Eu estava ouvindo gravações de campo exuberantes de ambientes tropicais, como selvas e rainforests e me vi atraído por sons atmosféricos percussivos que reproduziam o que eu estava ouvindo (sinos / shakers / carrilhões / paus de chuva) e comecei a experimentar mais instrumentos percussivos de madeira como kalimba e marimba".

    Salute to the Sun abre com Harmony in Nature, uma melodia exuberante totalmente improvisada inspirada na floresta tropical e nas gravações de campo da selva. O primeiro single, Joyful Spirits of the Universe, é uma melodia exuberante e comovente construída em torno de uma linha de kalimba hipnótica e com texturas de flauta e harpa à frente ao lado da sublime trompete de Halsall. O transcendente Canopy & Stars é construído em torno de um padrão rítmico com harpa e kalimba e tem uma sensação elevada e uma bela melodia queixosamente expressa pelo toque comovente de Halsall e apresenta um excelente trabalho de Matt Cliffe no tenor. Mindfulness Meditations é uma bela homenagem aos prazeres da meditação. Tropical Landscape é inspirado nas pinturas de Henri Rousseau, Peter Doig e Paul Gauguin e suas representações de paraísos exóticos. A faixa título Salute to the Sun apresenta uma bela introdução e solo da harpista Maddie Herbert e é uma homenagem ao tempo de Halsall estudando na Escola Maharishi. Todas as manhãs antes das aulas eles praticavam a Saudação ao Sol seguida de meditação transcendental e a faixa faz referência a essa memória. Pulsando com energia e direção, o álbum fecha com uma nota otimista, The Energy of Life coloca em primeiro plano o trompete de Halsall tocando sobre um groove poderoso de percussão, baixo e piano que é parcialmente inspirado por algumas das gravações favoritas de Halsall de spiritual jazz do início dos anos 70 e dos selos Black Jazz e Strata-East.

    O álbum foi gravado nas sessões semanais da banda, usando o set-up de gravação do próprio Halsall, dando às gravações uma vibração relaxada e uma energia não forçada que realmente deixa a música respirar. O álbum também é um assunto de família, já que o irmão de Halsall, Daniel Halsall, diretor artístico da Gondwana Records, foi uma presença importante nas sessões e co-produziu o álbum. É também sua arte que adorna a capa de Salute to the Sun, um álbum lindamente desenhado pelo lendário designer Ian Anderson do The Designers Republic, que também criou as capas dos recentes lançamentos de acervo Oneness, Sending My Love e Color Yes e é um dos designers favoritos de Halsall. Juntos, Daniel Halsall e Ian Anderson criaram todos os sete álbuns de Matthew até agora, então foi muito especial reuni-los para Salute to the Sun, um álbum que Halsall estava determinado a apresentar da melhor maneira possível. O álbum foi mixado com outro colaborador de longa data, George Atkins no 80 Hertz em Manchester, que trabalha incansavelmente com Halsall para aperfeiçoar o som e foi masterizado pelo notável engenheiro Peter Beckmann, que traz uma profundidade adicional ao som, especialmente em torno das notas de baixo, bem como na trompete de Halsall. O magnífico vinil duplo foi cortado como uma master Half Speed ​​por Barry Grint na Alchemy Mastering para a melhor experiência analógica possível.

    O resultado é indiscutivelmente a gravação mais bela e completa de Halsall até hoje, divertida, charmosa e imbuída do calor do sol e da energia da vida.

    Altamente recomendado.


  • Utilizamos uma classificação baseada nos padrões internacionais Goldmine e Record Collector Grading Systems. É o código universal para descrever precisamente a condição de um disco.

    S • Sealed / Lacrado
    O disco e a capa estão novos e ainda lacrados.

    N • New / Novo
    O disco e a capa estão novos, nunca tocados, porém não lacrados.

    M • Mint / Estado de novo
    O disco está em estado novo, absolutamente perfeito.
    Capa e documentos adicionais como encarte, folheto ou cartaz estão em perfeitas condições.

    NM • Near Mint / Quase Novo
    Descreve um disco quase novo, esta graduação é utilizada para discos que aparecem praticamente impecável, mas não perfeito. Uma marca superficial muito pequena pode aparecer no disco. No entanto, o disco deve tocar sem qualquer ruído sobre o defeito, a qual deve ser muito difícil de detectar.
    A capa fica perto de perfeita, nova, com apenas mínimos sinais de desgaste. Marcas menores na capa (devido à borda externa do disco que ficou dentro) ficam aceitável, porém a arte da capa deve ser tão perto da perfeição quanto possível.

    EX • Excellent / Excelente
    O disco mostra alguns sinais de ter sido tocado, mas há muito pouca atenuação na qualidade do som.
    A capa e a embalagem pode ter um ligeiro desgaste mas um excelente aspecto geral.

    VG+ • Very Good Plus / Muito Bom Plus
    A condição mais comum para os discos. O disco foi tocado algumas vezes, mas não exibe grande deterioração na qualidade do som, sem desgaste, apesar de leves e ocasionais marcas superficiais.
    A capa tem alguma imperfeição de manipulação como uso e desgaste normal, etiqueta de preço, marcas leve de vinco, … A capa também pode ser em perfeita condição, porem com um selo de DJ ou de cópia promocional, ou com um corte no canto.

    VG • Very Good / Muito Bom
    Capa que sofreu de dobrar, deformação de lombada, descoloração... Agora os sinais da idade e manuseio estão começando a aparecer. Você pode notar algum desgaste na superfície, há algum ruído e estalos. O disco pode ficar levemente empenado. Na dúvida, caso não tem uma descrição clara da condição no qual se encontra o disco, pode ser bom perguntar mais detalhes ao vendedor.

    VG- • Very Good Minus / Muito Bom Menos
    Os sinais da idade e manuseio estão muito presente. O disco apresenta desgaste na superfície, fica arranhado e toca com ruídos e estalos. O disco pode ficar levemente empenado e pode pular. Na dúvida, caso não tem uma descrição clara da condição no qual se encontra o disco, pode ser bom perguntar mais detalhes ao vendedor.
    Capa com muita marcas de idade e manuseio, deformação de lombada, descoloração...

    G • Good / Bom
    O disco foi tocado tanto que a qualidade do som foi visivelmente deteriorado, ruídos permanente, distorção e arranhões. Pode pular em vários momentos. A capa e os conteúdos podem ser rasgado, manchado e/ou apagado, também pode haver alguma escrita nela.

    B • Bad / Ruim
    O disco não toca corretamente devido a arranhões, ruídos ruims, pulos, etc ... A menos que seja algo muito raro não vale a pena escutar um disco nesta condição.
    A capa e os conteúdos são bastante danificados ou parcialmente ausentes.

    NA • Not Applicable / Não Aplicável
    Não tem disco, esta faltando.
    Não tem capa e/ou o disco se encontra numa capa branca, sem informação nenhuma.